Comodismo das Massas

Bom dia senhoras e senhores, hoje eu venho com um assunto que talvez não seja exatamente belo de olhar do ponto de vista que vai ser apresentado, mas nesse momento é o que eu preciso dizer, é o que eu preciso colocar para fora…

Todos prontos e animados?

Animadérrimo

 

 

 

 

 

 

Bem, como o título já diz eu quero falar sobre comodismo das massas, um assunto que é bem complicado e eu vou tentar percorre-lo sem grandes ressalvas ou aprofundamentos, porque ele envolve problemas muito grandes e soluções pequenas.

 

Eu gosto de chamar de comodismo das massas o fenômeno humano de  ver algo errado e ser incapaz de realmente agir, ver algo errado, algo que nos afeta e no máximo conseguir reclamar, conseguir se manter na zona de conforto perante algo errado… Isso é ser comodo, comodismo das massas é quando isso acontece com muitas pessoas ao mesmo tempo… Nesse caso, quando isso acontece com o nosso país…

 

Vamos ser diretos, uma coisa me incomodou logo de manhã e eu pensei bastante no assunto, eu li sobre uma tal de “bolsa crack” que consiste basicamente em um auxílio de cerca de 1.300 reais, dois salários mínimos, para o usuário de crack que for se tratar… Bem, acho que o crack se tornou um assunto de saúde pública, não pode ser ignorado, mas o governo devia estender a mão e deixar que o viciado fizesse o minimo esforço para sair dali, o viciado deveria querer sair dessa vida e o governo ajudar dando o tratamento, de outra forma eu não vejo como algo pode ser eficaz! Mas pra que dar o tratamento e esperar o querer de alguém quando se pode comprar essa pessoa e eliminar a vontade dela? Não é? Bem, pode parecer que eu estou sendo radical demais, mas…

 

Deixa eu ver se eu entendi, existem pessoas que trabalham todos os dias, acordam muito cedo ou vão dormir já de manhã para cumprirem seus turnos, andam em ônibus lotados, tentam viver uma vida honesta e suam todos os dias para ganhar um salário mínimo ou pouco mais que isso… Não falo de casos isolados, falo de MILHÕES de pessoas… Que sofrem para sobreviver de maneira honesta e não se permitem o luxo do erro. Alguém que se droga, ok… Não sejamos completamente unilaterais aqui, a droga é um problema e pode acabar se tornando uma doença, é um vicio que faz mal pra saúde pública, a família do drogado fica desamparada e ele precisa de um incentivo para sair dessa vida, esses são os argumentos usados para defender a “bolsa crack”… Mas é impossível não se revoltar, porque no fim parece que o viciado vai receber um bônus por ter dado trabalho e no fim tentar fazer o que algumas pessoas fazem normalmente para sobreviver… A droga é um problema, mas começa com uma escolha e nós não podemos simplesmente presentear quem fez uma escolha errada… Também não sou a favor de punir, cada um faz o que quer da vida… Mas se vivemos em uma sociedade e uma pessoa acaba se tornando um peso, porque remunera-la por um erro? Porque de maneira crua é isso que acontece, essa é a impressão que fica e isso é frustrante. Oferecer tratamento é obrigatório do governo… E infelizmente se o governo faz mais do que sua obrigação (coisa que na maioria das vezes faz de maneira porca) isso tende ao ridículo.  Algumas pessoas saem da faculdade pra fazer estágios ganhando isso, como dito, alguns trabalhadores nem chegam a ganhar isso… E um usuário que decidiu se tratar (o que a partir do momento que ele aceitou que está doente e está se tornando um peso para a sociedade é quase uma obrigação) recebe esse dinheiro, simplesmente recebe esse dinheiro, porque foi viciado… Isso parece um incentivo para se drogar, honestamente e olha que o crack é barato, é um investimento inteligentíssimo, gastar uma micharia com umas pedrinhas e receber dois salários mínimos como retorno… Bolsa de valores pra que?

 

E isso me levou a pensar que isso é revoltante, mas não há nada que eu possa fazer e isso não é nem tão revoltante se eu for para pensar em algumas coisas mais graves que nos causam comodismo.

 

O quanto o nosso poder público é vergonhoso, ladrões e bandidos declarados em comissões de ética, mafiosos do pior tipo mamam nas tetas do governo há anos e sempre conseguem voltar, desonestos são reeleitos a todo instante e é mais do que comum ligar a tv e ler sobre um novo escândalo no jornal, um novo esquema de corrupção mensal… E o maior perigo disso é que no final tudo passa como normal. É a sensação de que estamos acostumados a isso…

 

 

Sabe porque? Porque a maioria ainda é burra, a maioria acredita que é impotente, a maioria aceita o comodismo, aceita… Aquela frase que todos nós já ouvimos em varias formas, e pior… Aquela frase na qual todos nós já acreditamos “politico é tudo igual, não faz diferença… Prefiro votar naquele que rouba, mas faz um pouco pelo povo”.

 

ISSO É MUITO MESQUINHO DA NOSSA PARTE

 

É revoltante que eles façam, mas me revolta ainda mais que deixemos que o façam.

 

E então surge o maior problema de todos:

 

E o que nós podemos fazer?

 

 

Eu honestamente não tenho uma resposta simples para isso e talvez ninguém a tenha, a resposta simples é a óbvia “fazer alguma coisa”, mas isso por si só não responde nada. Eu verdadeiramente não sei, é realmente um lance de Davi x Golias… Se nesse caso o Davi fosse uma bactéria e o Golias um gigante ainda maior… Mas a cada dia que passa eu me cobro mais uma atitude e a cada dia que passa eu sinto mais forte o incomodo com isso… Isso existe desde sempre, a sujeira existe desde sempre, mas não é por isso que temos que ser porcos e chafurdar na lama… É nosso dever, não vamos conseguir de primeira e nem de segunda, mas quer saber? Tudo bem, porque sempre vão existir falcatruas e decepções para nos irritar e continuar nos movendo, sozinhos somos quase nulos, juntos podemos ser um incomodo e se olharmos para trás, nos anos recentes veremos que movimentos aconteceram e acontecem, as pessoas não são mais tão cômodas e uma hora essa bomba relógio sempre estoura, o caminho é longo, mais cedo ou tarde vamos ter que percorre-lo e para que o país não sangre mais, é melhor que seja cedo.

 

No passado as revoltas mudaram a história do país, os caras pintadas também, a ficha limpa só ganhou a atenção devida por conta dos compartilhamentos em redes sociais e foi uma vitória, mais recentemente houveram movimentos com certa expressividade, marchas e protestos, porque sem saber o que fazer, a única coisa que tentamos é que nossa voz seja ouvida… E o bom disso é saber que as vezes, ela é.

 

Vou tentar chegar ao problema por outro lado.

 

Como no recente caso da Comissão de Direitos Humanos e do Pastor Feliciano. Um caso que eu acho particularmente interessante, porque o pastor já assumiu o posto e por enquanto cometeu poucos atos absurdos na cadeira que lhe foi dada e da qual ele se recusa a sair, mas mesmo antes dele assumir houveram manifestações, mesmo depois dele ter conseguido houveram e nesse momento ainda existem…

 

Um caso recente que eu considero no mínimo absurdo , na minha opinião a reversa é bem simples:

– Seria possível colocar um ateu para comandar um culto religioso? –

 

 

Religiosos (aparentemente a maioria dos apoiadores do Feliciano), se perguntem isso e saberão como os opositores do pastor se sentem, como ele estar ali soa absurdo, não é perseguição religiosa, é pura falta de lógica.

 

 

Sim porque a base da discussão é a ideologia do deputado Feliciano, ideologia que sim, afeta a maneira que ele gere o cargo e o torna inapto, mas por pura politicagem a voz do povo é ignorada e ninguém que realmente tenha o poder é corajoso para agir, inúmeros deputados se opuseram ao Feliciano, mas aqueles que podiam fazer alguma coisa, conversaram por alto e lavaram as mãos. Isso beira o ridículo, o Pastor Feliciano deu declarações horrendas e absurdas, mas não é apenas disso que eu to tratando nesse momento, eu to querendo chegar em um ponto de uma maneira subversiva, um dos próximos textos vai ser exatamente sobre egoísmo, ego e a necessidade de ser superior ao outro, por isso não vou me aprofundar nesses assuntos aqui, só digo que… O Pastor Feliciano é evangélico e isso não o qualifica como minoria, ao contrário isso é um conflito de interesses para a comissão, ele é heterossexual e isso não o qualifica como minoria, apesar das declarações racistas ele se diz negro, mas no nosso país isso não ser minoria, nós somos uma enorme mistura étnica e a grande maioria de nós descende de negros de uma forma ou outra (o que por si só pode gerar um texto sobre racismo, cotas, etc), dito isso… A única minoria na qual o digníssimo (não digníssimo na minha opinião) Pastor Feliciano se encaixa é a dos ricos  e abastados, uma grande minoria no país na qual ele se inseriu crescendo e se fortalecendo na fé alheia e na graça de sua igreja. (entendam a leveza do sarcasmo nessa última frase).

 

E se estamos evoluindo, porque a voz do povo está sendo negada nesse caso?

Isso vai ser chocante…

Pera…

Respira fundo…

Agora…

A voz do povo não está sendo ignorada.

tumblr_mju8wnllUq1ql5yr7o1_500

COMO É QUE É?

 

 

Essa é a dura verdade que o caso do Pastor Feliciano nos obriga a encarar. Esse movimento teve uma enorme visibilidade, porque pessoas famosas e de certa influencia se pronunciaram, pessoas inteligentes e bem sucedidas (pura coincidência?) deram visibilidade e ajudaram na discussão… Mas porque não mudou?

 

Porque a maioria concorda com o pastor Feliciano, a maioria… Por motivações religiosas ou de pura ignorância concorda com ele, então ao menos nesse caso, a voz da maioria não foi calada, ela está sendo cumprida… Por isso nem sempre a voz do povo é a razão…

 

E isso denota que… Ok, o pastor Feliciano representa a maioria e não as minorias, mais um motivo para estar no cargo errado e o pior… Isso nos mostra algo ainda pior, no fim… A culpa de uma maneira ou de outra é nossa!

 

O país tem corrupção, tem ignorância e num nível mais profundo pobreza e desigualdade, porque a maioria pensa que as coisas são assim, que o ruim é imutável, a maioria das pessoas é pobre de ideologias e raciocínio próprio, em resumo… Nós estamos na merda, porque acreditamos que não há nada melhor, porque deixamos acontecer, ao menos a maioria…  A maioria ignorante sofre e como maioria podia agir… Podia… Mas não te fé nem em si para mudar, estão presos no comodismo. Então é como se aceitassem e aceitam esse Brasil que é imposto, por elas mesmas.

 

A culpa disso tudo é nossa, a culpa disso tudo é do povo, políticos não são mais ou menos do que seres humanos, eles são o povo… E se carecem ideologias, ideais e honestidade para eles, para a grande maioria deles, é porque tudo isso também carece para a grande maioria do país. Eles são ruins? Pois bem, eles são uma amostra de quem nós somos como comunidade e isso explica o atual estado da nossa comunidade…

 

A maioria não levanta a bunda do sofá pra fazer a sua voz ser ouvida… Mas tudo bem, porque as coisas sempre foram assim e nisso eu não me preocupo, porque a história ensina, coisa que como presidente da comissão dos direitos e minorias o pastor Feliciano deveria saber:

A maioria sempre atrasa o progresso, mas a minoria, quando certa, sempre consegue estabelece-lo

 

 

Não vai ser hoje e não vai ser amanhã… Mas existe um caminho certo e ele tem que ser percorrido. Enquanto for incomodo algumas pessoas vão continuar lutando e quando parar de ser incomodo para elas, elas vão sentar suas bundas nos sofás e se contentar em reclamar sem agir, mas se isso ocorrer aceitem que vocês compactuaram e aceitaram de bom grado os erros cometidos….

 

Repito… A culpa disso tudo é nossa, a culpa disso tudo é do povo, eles são o povo… E se carecem ideologias, ideais e honestidade para eles, para a grande maioria deles, é porque carece para a grande maioria de nós.

 

Não falo que devemos simplesmente agir ou desistir nesse exato momento, não é tão simples, mas existem pessoas lutando a todo momento por suas causas, se reclamar é muito fácil, se xingar os políticos e fingir ter uma opinião também, o que você realmente tem feito? Repito, não é tão simples… Mas uma hora o circulo fecha, a coleira aperta, o cabresto machuca e nessa hora vai ser difícil frear a mudança necessária, se vai ser logo ou mais tarde, depende apenas de nós.

 

“Eu não posso agir na política!”  “Eu não sei como começar a mudar!”  “Eu não posso, sou incapaz de agir!”

 

Quando a chance aparece sempre sabemos, começamos aos poucos, a mudança coletiva começa no individuo e na minha opinião essa é a chave… Não existe resposta fácil mesmo, porque essa é bem difícil .. Honestidade começa conosco, amor ao próximo também, senso de justiça também, força, garra, luta, desejo de mudança também… Não mude a politica do país, mude a sua… Porque se fizermos isso, de pessoa em pessoa estaremos fazendo um mundo melhor, é impossível parar o progresso. Mas o comodismo das massas é só um reflexo da maneira que vivemos em nossas vidas pessoas, por isso… Comodismo é uma maneira de viver e precisamos nos livrar dela no todo, começando por cada um de nós.

 

Longe de um todo perfeito, ao menos estaremos em um país melhor… Ou ao menos… De consciência limpa!

 

Obrigado pela leitura, xoxo

Henrique Raynal

Anúncios